Teleconsulta na odontologia?

Por envolver muita proximidade entre o paciente e o dentista, o atendimento odontológico acaba possuindo alguns riscos à saúde tanto do profissional quanto da pessoa que está sendo atendida.

Os principais riscos têm relação com doenças infecciosas – aquelas que se transmite por vírus, bactérias ou fungos. Esses agentes patógenos passam com facilidade pela saliva e pelo sangue, e geralmente afetam a pessoa se tem contato com mucosas dos olhos, nariz e boca, por exemplo.

Na prática odontológica, o procedimento pode gerar aerossóis (gotículas de saliva muito pequenas no ar) principalmente por que o dentista tem um contato direto com a cavidade bucal do seu paciente, e ainda podem ter contato também com sangramentos da gengiva ou de outras partes da boca. Todas essas situações geram risco para uma contaminação.

No entanto, com o crescimento das infecções com a COVID-19 – que também é uma doença infecciosa -, a preocupação com a segurança de dentistas, auxiliares e pacientes cresceu.

Durante o início da pandemia no Brasil, várias clínicas odontológicas ficaram fechadas durante um período de quarentena. Outras priorizaram apenas atendimentos de emergência e urgência. No entanto, com o avanço dos meses, a maioria voltou ao atendimento, tomando muito mais cuidados.

No entanto, mesmo seguindo todas as recomendações, ainda haverá um pequeno risco presente nas consultas. Por isso, a melhor estratégia seria reduzir o número de atendimentos presenciais – mas sem colocar em risco o financeiro da sua clínica, nem a fidelização dos pacientes, que poderiam acabar indo fazer suas consultas em outro profissional.

Parace impossível pensar em teleatendimento na odontologia, né? Mas calma, nós da UpDental podemos te afirmar: graças a uma resolução do Conselho Federal de Odontologia, publicada no começo de junho de 2020, a solução para esse desafio pode estar muito próxima da sua clínica e grandes dentistas já tem se utilizado dessas novas ferramentas para se destacar no mercado nesse período

Essa solução do teleatendimento em odontologia, vai permitir atendimentos à distância, que te ajudam a cuidar do paciente sem colocar ninguém em risco! Além disso, ela também possibilita atender pacientes que estão distantes ou que estão seguindo o isolamento social.

O teleatendimento é mais uma forma de usar as novas tecnologias na odontologia. De maneira resumida, ela diz respeito a atendimentos odontológicos feitos à distância, com uma ferramenta de telecomunicação.

Mas é claro que nenhum tipo de chamada de vídeo ou fotos pode substituir uma consulta verdadeira, feita por um bom cirurgião-dentista presencialmente. Por isso, nesses atendimentos à distância, os dentistas não podem realizar uma consulta de fato, dar um diagnóstico, fazer uma prescrição ou elaborar um plano de tratamento odontológicos.

De acordo com a resolução CFO-226 o teleatendimento deve funcionar “com o objetivo único e exclusivo de identificar, através da realização de anamnese, recebimento de vídeos, fotos e etc… o melhor momento para a realização do atendimento presencial.”

Além disso, a resolução ainda prevê um teleatendimento que é o acompanhamento dos pacientes que estão no meio de um tratamento através de atendimentos à distância, possibilitando dar orientações entre as consultas presenciais.

Com isso, esses atendimentos não são formas de substituir as consultas presenciais, e sim de complementá-las, primeiro com uma teleconsulta para analisar a situação do cliente e conferir a necessidade de marcar uma consulta presencial

No próximo post, vamos te ensinar algumas maneiras de trabalhar essa nova ferramenta do mercado da odontologia!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *